• Após 24 horas, corpo de mulher morta é removido para o IML.




    Uma situação que ultrapassou o limite da burocracia. Dona Clemilda Pereira foi encontrada morta em sua residência, na Rua Jornalista Pedro Cordeiro Mello, no Vile Blanch, em Cabo Frio. Logo a polícia militar foi chamada e automaticamente os órgãos competentes para providenciar a documentação para sua retirada. Segundo vizinhos, a senhora tinha problemas de saúde e por alguns dias não apareceu na rua então foram constatar o que tinha acontecido. Ela morava sozinha e ninguém tinha informações sobre parentes, então a Assistência Social de Cabo Frio também foi chamada. Uma equipe de técnicos do SVO (Serviço de Verificação de Óbito) constatou que a vítima estava morta há pelo menos 03 dias dentro de casa, que neste caso precisa do trabalho de perícia do ICCE para liberar os documentos para remoção. No ICCE foi dada a informação que em caso de morte súbita ( foi este o caso ) não é preciso o trabalho da perícia e sim do SVO. 
    Começou a burocracia e jogo de empurra para ver quem iria gerar a documentação. 
    O SVO informou que o tempo de morte ultrapassava o limite de sua ação, que acontece em caso de morte súbita, recente,  com a presença de parentes ou histórico médico ( que não foi o caso ) liberando para o sepultamento, mas devido o estado da vítima ( 03 dias morta dentro de casa ) não era possível gerar o documento. A Assistência Social providenciou que a informação do fato chegasse até o MP que então tomou medidas participando a 126ª DP solicitando a documentação para remoção. Por todo este processo a PM ficou com uma viatura estacionada em frente a casa onde estava o corpo por mais de 24 horas até que a vítima fosse levada por volta das 11 horas da manhã desta quinta feira (20) para o IML. 


    Um outro problema é que o cachorro da vítima ficou na casa, sem a atenção de uma pessoa. 

    Patrocinadores

    1 2 3 4 5

    Q Onda Moda Praia

    Facebook