• Casa da Flor é reaberta, em São Pedro Daldeia.


    A Casa da Flor, símbolo nacional da arquitetura espontânea e um dos principais patrimônios históricos e artísticos de São Pedro da Aldeia, está oficialmente aberta para visitação. Após passar por nove meses de obras de conservação, o monumento foi reinaugurado nesta sexta-feira (6) em cerimônia festiva. 




    O evento contou com a presença do prefeito Fábio do Pastel, do secretariado municipal, vereadores, representantes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, membros da sociedade civil e familiares de Gabriel Joaquim dos Santos, criador da Casa. O espaço tem visitas guiadas de quarta-feira a domingo, das 10h às 12h e das 13h às 17h.

    O prefeito Fábio do Pastel destacou o compromisso assumido em seu governo de concretizar a obra emergencial para assegurar a recuperação, valorização e a preservação do monumento, datado do século passado. “Me sinto muito feliz por termos lutado e conseguido fazer essa obra de restauração da Casa da Flor e poder entregar esse bem cultural de imenso valor para a população de São Pedro da Aldeia. A partir de agora, teremos também servidores municipais, que foram treinados durante a obra e que ficarão responsáveis por manter esse patrimônio bem conservado. Não foi fácil, foi um grande desafio para a nossa gestão, mas conseguimos cumprir com a nossa missão”, disse o prefeito.

    Na Casa da Flor, a última obra de recuperação estrutural foi concluída em 2014, capitaneada pelo Instituto Casa da Flor e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A área externa e a construção em paredes de taipa com esteios de madeira, repleta de ornamentos, enfeites e esculturas, já apresentavam sinais de desgaste natural e infestações de agentes biológicos, como musgos e liquens, que comprometiam a integridade do patrimônio.

    Com a obra iniciada no ano passado, as centenas de peças que compõem a parte interna e externa receberam limpeza química e mecânica, higienização e a retirada de vegetação invasora, em um processo que devolveu vida, estabilidade e uma camada superficial de proteção, fundamental para a conservação da ornamentação. As intervenções foram executadas por uma empresa especializada contratada pela prefeitura e contaram com o acompanhamento e suporte técnico constantes do escritório regional do Iphan, responsável por fiscalizar a obra.

    O arquiteto integrante da equipe do Iphan – Região dos Lagos, um dos profissionais diretamente envolvidos no projeto, Ivo Barreto, destacou o empenho do Poder Público em operacionalizar a obra de conservação preventiva, atendendo também à uma antiga demanda judicial, que perdurou por anos em gestões anteriores. “É um mérito muito grande da gestão do prefeito Fábio do Pastel encarar uma obra como essa, pela dificuldade técnica que ela possui, considerando a enorme organicidade da Casa. Sabemos que dentro do município não é fácil conseguir esse tipo de recurso e priorizar esse tipo de ação, mas a prefeitura assumiu o dever de fazer, entendendo a importância de executar essa obra. Mais do que resolver os problemas da Casa, o mais interessante é o papel que a prefeitura assume de fazer a conservação continuada, com respeito a esse patrimônio que completou 100 anos e vai fazer muito mais”, destacou Ivo.

    O secretário municipal de Cultura, Thiago Marques, responsável por conduzir o projeto na prefeitura, aproveitou o momento para agradecer o apoio dos secretários e do prefeito em cada etapa. “A Casa da Flor sempre foi uma grande preocupação desde o início do governo e agradeço ao prefeito, aos meus colegas secretários e a toda a equipe da Secretaria de Cultura por se mobilizarem em conjunto em prol dessa causa tão importante e emergencial. A entrega dessa obra é a resposta da nossa gestão na aplicação de um conjunto legal de políticas públicas fundamentais para valorização da Cultura aldeense e do nosso patrimônio histórico cultural”, ressaltou.



    Homenagens ao criador



    Sob organização da Secretaria Municipal de Cultura, o evento de reinauguração da Casa reuniu artistas e agentes culturais que abrilhantaram a programação festiva com apresentações de dança, música, artesanato e o teatro. As atividades prestaram homenagens ao criador da Casa da Flor, Gabriel Joaquim dos Santos, nascido em 1892, trabalhador de roçado e das Salinas, filho de uma índia e de um ex-escravo.

    Durante mais de 60 anos, de 1912 até o ano de sua morte, em 1985, Gabriel dedicou-se ao sonho de adornar a sua casa com todo tipo de material que encontrava pela frente, abandonado pelas estradas, como cacos de vidro, cerâmicas, louças, ladrilhos, lâmpadas, conchas, restos de azulejos, faróis de automóveis e restos de obra. Com eles, criava arranjos únicos – muitos em formato de flor –, que encantam por seus efeitos visuais marcantes.

    A edificação foi tombada em 1986 como patrimônio cultural fluminense pelo Instituto Estadual de Patrimônio Cultural (Inepac) e, em 2016, a Casa ganhou status de patrimônio cultural material brasileiro com a inscrição no seleto Livro do Tombo de Belas Artes do Iphan, elevando São Pedro da Aldeia ao circuito turístico e cultural nacional.

    Depois do falecimento de Gabriel, a Casa passou a ser zelada pelo seu sobrinho-neto, Valdevir dos Santos, que hoje atua como assessor histórico do espaço, responsável por conduzir as visitações. “O senhor Gabriel partiu, mas deixou o seu sonho e o seu exemplo, mesmo naqueles tempos difíceis. Do lixo ele fez o luxo e assim foi feito como ele sempre dizia para mim ‘meu sobrinho, essa casinha um dia vai ficar na história’. Estar aqui, ao lado do prefeito e de todas as autoridades, comemorando essa maravilha que é a Casa da Flor, agora muito mais bonita, é uma emoção muito grande”, disse Valdevir.

    A programação contou ainda com uma intervenção artística idealizada pela agente cultural e produtora de moda Marlúcia Soares, vestida de noiva, simbolizando o casamento da Casa da Flor com o seu entorno. “Tenho muitas lembranças do senhor Gabriel e, durante a minha infância, trouxe muitos caquinhos para ele. A minha proposta com esse ‘casamento’ é justamente mostrar que nós, que crescemos aqui e fazemos parte dessa comunidade, precisamos nos apropriar desse patrimônio, valorizar e zelar por essa Casa”, reforçou a artista.

    A Casa da Flor fica localizada na Estrada dos Passageiros, nº 232, no bairro Parque Estoril.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Patrocinadores

    1 2 3 4 5

    Q Onda Moda Praia

    Facebook