• REVOLTA - Confusão de informações deixa um homem morto 24 horas em uma casa, em Cabo Frio.

    O corpo da vítima ficou sobre a cama por mais de 15 horas aguardando a resolução de documentos e informações para ser sepultado.
    Nem na hora da morte as pessoas tem descanso. Nesta terça feira (08) uma família, na cidade de Cabo Frio, sofreu para conseguir retirar e sepultar o corpo de um parente, que faleceu por causas naturais . O nome da vítima é Paulo Antônio José, de 61 anos. Seus familiares encontrara a vítima morta deitada sobre sua cama, sem sinais de violência, em sua casa que fica ao lado do antigo Hotel Acapulco, no bairro Braga. 



    O SVO foi até o local ainda na manhã de segunda feira (07) realizando os procedimentos, mas não deixaram documento algum. Segundo a família, outra vez a equipe foi ao local mas depois das 18 horas, já anoitecendo na cidade de Cabo Frio, agora deixando os documentos para providenciar a certidão de óbito. Neste momento, pegando por referência o horário em que se imagina o óbito, o corpo já estava sobre a cama há pelo menos 8 horas. No dia seguinte, assim que o cartório abriu a família foi registrar o triste acontecimento, mas o documento deixado pelos profissionais, segundo funcionários do cartório, estava com falta de informação. Neste momento o sofrimento de luto se misturou com a revolta pois a questão não se resolvia. Um homem funcionário do IML, segundo os parente de seu Paulo ( que ainda estava deitado em sua cama em sua casa, morto) foi até o cartório e mesmo assim não resolveu. Por volta de meio dia de terça feira (08) surgiu uma decisão : FAZER DE NOVO O DOCUMENTO DE VERIFICAÇÃO DE ÓBITO.

    Segundo funcionários do Cartório, no documento emitido pelo SVO faltou informações importantes sem os quais não poderia emitir a documentação necessária para autorizar o sepultamento. 

    "Como assim ? Meu irmão está deitado morto naquela cama, neste calor, já entrando em estado de decomposição, saindo líquido e a gente aqui, com este descaso." Declarava um parente na porta do Cartório no Braga, revoltado com esta situação se sentindo desprezado e mal tratado pelas autoridades que neste momento deveriam entender a dor de uma perda.

    O sepultamento foi realizado nesta terça feira (08), depois de mais de 15 horas após a identificação do óbito.

    Entramos em contato com o IML de Cabo Frio, pois SVO é designado a partir da sua sede, no Portinho e perguntamos a respeito desta situação e a equipe ficou assustada com toda a situação pois não entendiam também o que teria provocado este enorme transtorno.

    A família registra a falta de organização, a dificuldade e se apresenta como revoltada por todo este sofrimento .

    Um comentário:

    1. Nossa que triste, as autoridades tem que tomar alguma atitude, na hr de pedir voto prestam

      ResponderExcluir

    Patrocinadores

    1 2 3 4 5

    Q Onda Moda Praia

    Facebook