• Preso e sem culpa, a luta de Alexandre Mota. Policial foi preso em Operação em Arraial, sem nunca ter relações com a Prefeitura ou os envolvidos.

    Mais um caso que precisa ser corrigido pela justiça em nosso país. Um policial militar, chefe de família, sócio de uma empresa no segundo distrito de Cabo Frio, está preso por causa da coincidência do nome : Mota. Estou falando do Subtenente Alexandre Pereira Mota. Ele foi detido por força de mandado de prisão expedido na Operação Parque Livre, em Arraial do Cabo, que resultou no pedido de prisão para o ex prefeito Renatinho Vianna e outros secretários por invasão de terras em área de proteção ambiental. 



    Dentre os procurados na operação estavam policiais militares e também bombeiros. Um dos Policiais se chama Sandro Mota, sargento da Pm e que se apresentou as autoridades ficando preso. 




    O Subtenente Alexandre Mota foi encontrado em sua casa e se surpreendeu com a situação, já que nunca teve relações com o ex prefeito ou realizou qualquer serviço a Prefeitura Municipal de Arraial. O que lhe gerou um gigantesco transtorno foi o nome de guerra, que não utiliza há pelo menos 10 anos. Há muito tempo que o PM utiliza em sua farda a identificação de "Alexandre", justamente para evitar a confusão com o nome "Mota". 

    A hipótese mais apropriada é que na dúvida pediram a prisão para os dois que se chamam Mota, por não ter certeza do policial apontado na operação. No momento da chegada do Subtenente na delegacia de Arraial do Cabo, os policiais Civis já tinham identificado que o detido não era o procurado e envolvido com a questão de invasão de terras. Mas diante de um mandado de prisão apenas a justiça seria a responsável pela sua soltura.  Mas mesmo com assim a situação do policial não se resolveu. Já são mais de 19 dias de carceragem no presídio, longe da família e sem notícia de habeas corpus. "Estamos lutando, mas como a justiça é lenta em favor daqueles que não tem dinheiro, nos resta a angustia e a saudade. É impressionante, saber que a prisão não é correta. Uma pessoa que não tem ligação com a Prefeitura de Arraial, trabalhava no Segundo distrito de Cabo Frio, sem contato algum com os envolvidos e sendo mantido preso." Declarou um parente do Alexandre. 

    Casos como este vem se tornando cada vez mais comuns. Prisões para inocentes e mesmo diante da identificação da injustiça, a inoperância daqueles que possuem o poder de resolver.  Recentemente, no Rio de Janeiro, um jovem foi preso e o que motivou um mandado de prisão foi uma foto 3x4 de quando o jovem, hoje com 27 anos, tinha na época 15 anos.  O seu caso foi resolvido após 09 dias de prisão. Outro caso foi do jovem Raoni, que foi preso exatamente por possuir o mesmo nome de um integrante de milícia na zona oeste do Rio. 

    Vamos continuar aguardando e acompanhando o caso do Subtenente Alexandre, torcendo por um resultado positivo em seu favor e pela justiça. 

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Patrocinadores

    1 2 3 4 5

    Q Onda Moda Praia

    Facebook