• Campeão de Longboard vai unir crianças de Búzios e idosos no 2º Surf Experiences, em Dezembro.




    Clínicas de surfe, de yoga, de canoa havaiana, aulas de primeiros socorros, treinamentos com personal training, palestras com atletas profissionais e dinâmicas de grupos são algumas das atividades oferecidas no 2º Surf Experiences, que será promovido de 04 a 06 de dezembro deste ano por Phil Rajzman, atleta da elite do surfe mundial desde 1997. Voltado para pessoas de todas as idades, o evento segue um conceito baseado na realização de atividades integrativas, para que todos tenham mais conhecimento sobre como se divertir no mar. “Qualquer um pode participar, da criança ao idoso, independentemente da sua condição física. Queremos transmitir, acima de tudo, a importância da cultura do surfe”, explica Rajzman, bicampeão mundial de longboard (2007/2016), bicampeão Pan-Americano (2007/2009), campeão Sul-Americano (2017) e campeão Brasileiro (2012).

    Essa segunda edição do Surf Experiences terá a participação como palestrantes, para demonstrações no mar e acompanhamento das dinâmicas em grupo, de duas lendas do longboard brasileiro: o carioca Carlos “Mudinho” Lastorina, 71 anos, um dos principais ícones do surfe nacional, conhecido como ‘o mudo mais falador’, e que também confecciona pranchas como ninguém; e Vitorino James, 59 anos, bicampeão brasileiro de longboard e campeão do Intercâmbio Internacional de Longboard.

    “O surfe é uma terapia e quando entro no mar, esqueço de tudo. Aconselho a todos surfar e tirar o estresse”, afirma James, que acumula um total de 240 troféus, incluindo o de pentacampeão carioca, hexacampeão estadual e bicampeão brasileiro. “Exercitar no mar também proporciona novas e variadas amizades, acabamos conhecendo desde policiais, juízes, vendedores e médicos. E para as crianças digo: surfe faz muito bem, mas os estudos vêm antes”, completa o atleta, que viajou o mundo representando o Brasil em campeonatos no final dos anos 80 e na década de 90.

    Os participantes do 2º Surf Experiences aprenderão ainda canoa havaiana com a atleta Ariane Theophilo, professora desta atividade esportiva e, também, de ginástica rítmica, e com o atleta Albert Lopes de Carvalho, competidor de canoagem e praticante de kitesurf, windsurf e surfe. O evento ainda terá dezenas de professores de surfe e de educação física.

    Outra atração será a apresentação de primeiros socorros ao vivo do telão feita pelo doutor David Szpilman, diretor médico da Sobrasa – Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático, referência em salvamento e prevenção aquática, com extenso currículo, responsável, entre outros, pelo Projeto Botinho, que no verão ensina primeiros socorros e práticas de salva vidas para crianças. “David foi um dos meus mentores quando criança”, conta Rajzman. “É fundamental para quem pega onda aprender primeiros socorros, porque o surfista muitas vezes acaba chegando mais rápido para fazer um resgate do que os próprios salva-vidas que ficam nas torres”, explica.

    A ideia de seu evento é o de unir gerações, já que crianças e adolescentes participam com seus pais e avós. “A diferença vai ser justamente no tipo de equipamento que cada um irá usar e no lugar onde estará praticando o surfe, por isso nós dividimos em níveis: iniciante, intermediário e avançado. Sempre com instrutores dando atenção para as necessidades individuais”, explica o surfista.

    Segundo Rajzman, a meta é trazer a visão do surfe da Polinésia, bem integrativo, às praias brasileiras. Foi deste povo navegador – os polinésios, que colonizaram a maior parte das ilhas do Pacífico – que surgiu a primeira referência ao esporte. “A intenção é que o surfe seja visto como uma terapia. Tem gente que pega onda pela manhã e rende muito mais no trabalho. No geral, os esportes ajudam muito nisso, mas o surfe tem algo de especial, pelo contato com a natureza”, conta. O evento será filmado. Depois, todos os participantes poderão assistir e analisar as gravações em grupo e tirar dúvidas.

    Outra atração à parte do Surf Experiences será o cardápio com alimentação saudável para os que praticam esportes, preparado pelo chef de cozinha Reginaldo da Cunha Gonçalves, que tem uma história de vida marcada pela superação. Ele já foi menino de rua, viveu em abrigos, sofreu maus-tratos, até superar tudo isso e realizar o sonho de ser cozinheiro. Hoje formado em gastronomia, se tornou um chef bem reconhecido e respeitado, sobretudo na região de Búzios. “O legal do Surf Experiences também é que o evento reúne pessoas com vidas marcantes, que acreditam e investem na comunidade local, preparando profissionais para também trabalhar nos eventos promovidos na região. Isso se torna um grande incentivo”, diz Rajzman.

    No ano passado, o 1º Surf Experiences contou com uma pessoinha especial: Benjamin Almeida, que na época tinha acabado de fazer sete anos de idade. “Amei estar no evento do Phil. Foi muito legal. Eu participo do Surf Experiences sozinho, sem meus pais, que só me levam e me buscam”, conta Ben, empolgado pela independência. “Comecei a surfar com quatro anos de idade. O surfe é tudo pra mim, eu não vivo sem”, completa o pequeno, que é um verdadeiro atleta, pois também pratica judô, skate e capoeira. Mas ele confessa que é o surfe que mais ama e o esporte no qual já participa de várias competições pelo Brasil.

    Aos interessados em se inscrever no 2º Surf Experiences basta entrar na plataforma online ingressocerto.com. São vagas limitadas, em função dos rigorosos padrões de segurança que precisam ser seguidos por causa do Covid-19. Serão 15 participantes ao todo (no ano passado foram 60), entre pagantes e não, incluindo algumas pessoas da comunidade de Búzios, de crianças e idosos. A divulgação da programação básica será entregue aos participantes assim que chegarem ao evento.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

    Patrocinadores

    1 2 3 4 5

    Q Onda Moda Praia

    Facebook