• Artesãos de Cabo Frio serão cadastrados. Carteira já foi entregue pelo Estado para mais de 860 trabalhadores.



    Uma parceria entre a secretaria de Cultura do município e a Secretaria Estadual de Turismo (Setur-RJ/TurisRio) vai realizar o sonho de muitos artesãos de Cabo Frio, a Carteira Nacional do Artesão. Entre os dias 26 e28 de junho, a partir das 10 horas, vai acontecer o cadastramento gratuito na Faculdade da Região dos Lagos (Ferlagos). Mas, atenção. Para conseguir a habilitação, é necessário que o artesão assista a palestra de apresentação do programa, que acontece nos três dias do evento e será ministrada pela subsecretária-adjunta e coordenadora de Turismo, Nea Mariozz, que apresentará todo o projeto do programa de artesanato do estado. 

    Os profissionais interessados devem chegar ao local da inscrição na hora marcada, ter mais de 16 anos, apresentar foto 3x4, original e cópia da identidade, CPF e comprovante de residência em nome do requerente.




    De acordo com a coordenadora de Turismo, Nea Mariozz , a habilidade manual é exigida pelo programa de artesanato brasileiro.
    - Cada artesão deverá levar até três peças de cada técnica já produzida e uma inacabada para finalização no ato do cadastro para demonstração de habilidade manual para comprovação técnica. Lembrando que quem se cadastrou antes do ano de 2015 também tem que atualizar os dados.
    Segundo o secretário de Cultura de Cabo Frio, Ricardo Machado, a Carteira Nacional do Artesão é um instrumento de identificação e de qualificação.

    - Com a carteira o artesão pode aumentar sua renda já que facilita o acesso aos eventos especializados, como feiras e exposições, disse o secretário.

    Para a coordenadora da Casa Artesanal de Cabo Frio, Vânia Carvalho, é imprescindível a prova de habilidade na hora do cadastramento.
    - A prova vai selecionar quem realmente faz artesanato, evitando assim que pessoas que são apenas revendedores, o que acontece muito em Cabo Frio,  recebam a carteira de artesão, disse Vânia lembrando que no início do ano esteve na secretaria de Turismo do Estado conversando com Néa Mariozz.
    - Fui exatamente falar com ela sobre este cadastramento de Cabo Frio que ainda não tinha acontecido, afinal trabalho com mais de 50 artesãos e fui buscar a garantia de que todos pudessem se profissionalizar, já que na Casa Artesanal trabalhamos com alto nível de artesãos.
    De acordo com Néa, artesãos de outros municípios vão poder participar do cadastramento em Cabo Frio, mas só receberam suas carteiras dentro do município de origem.
    - Quem perder o prazo do cadastramento terá que vir ao Rio de Janeiro com data marcada, para tentar resolver sua situação, disse, lembrando que a para a entrega da carteira de artesão terá que ser observado o sistema do Ministério do Turismo, já que segundo ela “está mudando e temos que aguar a volta do sistema”.  
    De acordo com o IBGE, mais de 8,5 milhões de brasileiros sustentam a família com o artesanato, em 78,6% dos municípios do país. A Secretaria de Turismo colocou o Rio de Janeiro entre os mais avançados na valorização dessa categoria, que tem presença marcante em todas as regiões do estado, ao ser um dos primeiros a entregar a Carteira Nacional de Artesão/Trabalhador Manual, atendendo ao pedido de anos de espera da classe. A primeira entrega aconteceu em abril, em Angra dos Reis.
    Há dois anos, o Programa de Artesanato do Estado, coordenado por Nea Mariozz, se reestruturou e começou a percorrer o estado, cadastrando esses profissionais. Segundo a coordenadora, até o final do ano, muitas carteiras serão entregues em dezenas de municípios.

    - O artesão fluminense será, a partir de agora, considerado, formalmente um profissional do setor. O cadastramento é muito importante para o artesão, porque busca-se a identidade, a capacitação e a qualidade técnica fundamental para tal. É uma boa forma de verificar como está aquele município com relação ao artesanato, disse Nea Mariozz.

    A Secretaria de Turismo já atendeu mais de 860 trabalhadores manuais de oito municípios fluminenses: Angra dos Reis, Arraial do Cabo, Nova Friburgo, Paracambi, Queimados, Seropédica, Teresópolis e Vassouras.

    A carteira não requer anuidades nem taxa de adesão, e é emitida após o registro no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (Sicab). Com isso, o trabalhador, além de ter uma identidade profissional, poderá participar de feiras nacionais e internacionais, oficinas e cursos, além de ter descontos em compras de materiais. 

    Além de poderoso gerador de recursos e desenvolvimento regional, o artesanato é um produto de grande importância dentro do setor turístico, segundo o secretário de Turismo, Nilo Sergio Felix. 
    – O artesanato está ligado à função turística e o Governo do Estado tem agido com esse foco de, além de reconhecer, identificar esses trabalhadores. Temos certeza de que vamos atingir um número aproximado de 15 mil pessoas identificadas pela carteira. A meta é entregar o documento nos 92 municípios fluminenses. Isso valoriza a profissão e dá autoestima ao artesão – ressaltou o secretário de Turismo.

    Patrocinadores

    1 2 3 4 5

    Q Onda Moda Praia

    Facebook