• Sobre a Orla da Prainha, obras foram paralisadas por causa da grave crise financeira no Estado.





    O MPF determinou a retirada das barracas que estavam instaladas na Orla da Prainha, em Arraial do Cabo, imediatamente.  O processo é antigo e todo o processo cobriu o litoral brasileiro. A mesma medida foi tomada em outros estados. Na Orla da Prainha o Ministério Público determinou a retirada dos Quiosques na administração do então prefeito Andinho, que na época recebeu uma multa para o município de R$ 30 mil reais por protelar a decisão judicial . Além disso o MP tinha entrado com um pedido adicional de mais R$ 100 mil . O executivo, na ocasião, conseguiu uma autorização para que as famílias continuassem a trabalhar em barracas,  com alguns critérios, onde pudessem passar pelos feriados, aproveitando o grande movimento turístico na cidade  .  Com o passar do tempo, os proprietários das barracas foram modificando o ambiente em descumprimento do exigido pelo MP. 


    O governo na época apresentou um projeto para a nova orla e conseguiu a aprovação junto ao Governo Estadual . Foi feita uma licitação e a empreiteira chegou a se instalar na área das Casuarinas, onde montou todo a estrutura para iniciar as obras, mas foi justamente quando a grave crise financeira alcançou o estado do Rio de Janeiro. Toda a verba destinada para a cidade de Arraial do Cabo foi utilizada pelo Estado, prometendo liberar assim que possível . 
    "Cabe agora a atual administração buscar os meios necessários para que a obra da Orla da Prainha tenha prosseguimento, pois é de extrema importância financeira e social para a cidade ." Declarou o ex prefeito Wanderson Cardoso de Brito por telefone lembrando ainda que a Orla da Praia Grande passou pelo mesmo processo.

    Orla Flavia Alessandra, na Praia Grande, em Arraial do Cabo.

    Patrocinadores

    1 2 3 4 5 6

    Q Onda Moda Praia

    Facebook