• Em Búzios vereadores declaram na primeira sessão do ano : "Encontramos um rato na geladeira do hospital".



    Falando sobre a pauta : Anulação da lei que autoriza o governo a contrair um empréstimo.




    Morador da Vila Verde pediu que vereadores ajudassem o bairro.




    Hoje (02) foi o primeiro dia de trabalho dos vereadores da cidade de Armação dos Búzios. Baseado nos discursos na Tribuna, muitos moradores presentes vibraram com aquilo que chamaram de "Câmara do amém" fazendo uma comparação aos vereadores que passaram pela câmara no último mandato.  Na pauta do dia estavam assuntos importantes para a comunidade buziana, entre elas a anulação da lei que autoriza o governo municipal adquirir um empréstimo de 30 milhões de reais. "Meu voto é contrário a lei. O governo não explica como vai utilizar, como vai pagar e quando vai pagar. Se aprovarmos isso estaremos condenando a cidade. "Afirmou o Vereador Miguel Pereira . 

    Um dos assuntos mais levados a tribuna foi a saúde . O Vereador Walmir Nobre lembrou de um munícipe que faleceu vítima de um procedimento realizado com falhas. "Como pode o prefeito ser um médico e o povo sendo tratado desta forma . Se nada for feito outros irão morrer neste hospital." Finalizou em lágrimas, lamentando o fato da Secretária de saúde ter sido exonerada neste momento, pois o vereador tinha uma requerimento pela sua presença na câmara para dar explicações . Ele acredita que o atual diretor do Hospital, Dr. Waknin, seja o próximo Secretário de saúde. 

    A vereadora Gladys Costa apresentou um relatório cobrando do governo uma atitude digna com relação a saúde . Segundo ela, um rato foi encontrado pelos 5 vereadores na geladeira do Hospital Municipal. As imagens foram gravadas. "Nós não invadimos o Hospital, somos vereadores e estávamos fiscalizando, que é o nosso dever. O governo que esconder aquela situação que todos temos conhecimento de falta de estrutura . Encontramos goteiras por todo o lado, falta de remédios e dignidade para o servidor da saúde . O governo paga uma média de R$ 6 mil reais por dia a empresa que fornece alimentação aos pacientes. Isso daria para comprar 600 quentinhas por dia ao valor de R$ 10 reais cada." Declarou a Vereadora afirmando ainda que foi proibida de entrar no hospital e que foi ameaçada por estar "incomodando" a prefeitura.  Também foi lembrado que as câmeras instaladas no Hospital foram utilizadas para assediar moralmente os funcionários, denunciantes, que não queriam aparecer nas filmagens. Além disso falou sobre a situação do lixo dos moradores do bairro Vila Verde.

    O governo não tem dinheiro para retirar o lixo, para trocar lâmpadas nas ruas, para colocar uma central de monitoramento na cidade, mas tem para vigiar os funcionários dos hospitais na cidade .

    Patrocinadores

    1 2 3 4 5

    Q Onda Moda Praia

    Facebook