• Região dos Lagos - Refúgio de aves migratórias .

    A Região dos Lagos não se destaca apenas pela beleza das suas praias. É também um sítio de extrema importância para a migração mundial de aves. Quem afirma é o ambientalista, fotógrafo e observador de pássaros Antônio Ângelo Marques. Ele fotografou, entre outras espécies, o Flamingo-grande-dos-andes. O único registro da presença do Flamingo no Estado do Rio aconteceu na antiga salinas Ypiranga, na região da Ogiva, no Peró. A foto foi feita em dezembro passada e havia apenas uma única ave da espécie.
    Já em Arraial do Cabo, foi registrada a presença do Flamingo-chileno (dois indivíduos), que também foram fotografados em Cabo Frio, perto do aeroporto, e na Praia Seca, em Araruama. Eles aparecem sempre no final do ano e permanecem na Região dos Lagos até abril. Nas lagos do Peró, também é comum a presença de colhereiros que não escapam das lentes de Marques e do biólogo Eduardo Pimenta. Os dois são autores do livro “Aves da Lagoa de Araruama”.
    -- A Região dos Lagos, no caso específico de aves migratórias é de grande importância para esse ciclo mundial da migração. São aves fugindo do frio europeu e também de alguns países da America do Sul -- explica Marques, que costuma participar de eventos de observação de aves no Parque Estadual da Costa do Sol.
    De beleza fantástica, as aves costumam migrar atualmente para lugares mais quentes, como é o caso da Região dos Lagos. Os lagos são usados como abrigo e local de alimentação durante a longa jornada fora dos locais de origem das aves. No Centro de Cabo Frio, o Parque das Garças recebe todo fim de tarde milhares de garças, que acabaram dando nome ao manguezal, onde vai funcionar a sede local da Unidade de Polícia Ambiental (UPAM).
    -- Estas aves, em sua maioria, viajam de três mil a 10 mil quilômetros, o que é o caso do Maçarico-branco. Estas aves podem ser observadas nos marnéis das salinas se alimentando ou em praias lagunares de pouco movimento da Laguna Araruama. É um atrativo turístico – acrescenta o ambientalista, que fez um alerta:
    -- O final da atividade salineira, com ocupação destas áreas por empreendimentos imobiliários, pode significar a perda de habitat para este ciclo importante da migração mundial – concluiu.
    Além das aves, a costa da Região dos Lagos é procurada por animais marinhos. Na madrugada do dia 10, foi avistada uma tartaruga desovando na Praia do Peró. O local será cercado pela Coordenadoria do Meio Ambiente para garantir a procriação das tartarugas marinhas no local com a supervisão do Projeto Tamar.

    Patrocinadores

    1 2 3 4 5

    Q Onda Moda Praia

    Facebook